Quatro Verdades Sobre a Crítica – Aula de Crítica Cinematográfica com Wellington Sari

Horários:

Dia 04 de Maio de 2017

Das 19h às 21:30h

Investimento:

Valor: R$ 25,00

A crítica nunca foi tão irrelevante quanto atualmente. Ao mesmo tempo, sua necessidade é do tamanho do Big Bang.

Em um mundo divido entre o paradoxo do dogma da relativização moral, entre a vontade de criar fronteiras e a de apaga-las, exercitar o pensamento crítico é uma maneira de colocar ordem no caos, o que significa saber posicionar-se com inteligência.

Compreender os filmes, é, também, entender o mundo em sua complexidade. Para compreendê-los, é preciso ativar o gosto e desanuviar o olhar, em um trabalho que mistura amor e lucidez, conhecimento técnico e sensibilidade.

Na aula “Quatro Verdades Sobre a Crítica”, por meio da contextualização do papel da crítica na história do cinema e análises práticas de segmentos de filmes, serão fornecidas ferramentas teóricas não apenas para cinéfilos ou diletantes da atividade crítica, como para todos aqueles interessados em não ficar à deriva no oceano de imagens que banha o mundo contemporâneo.

Orientação: Wellington Sari

Formado em cinema e jornalismo, Wellington Sari é sócio da produtora O Quadro. Escreveu e dirigiu diversos curtas-metragens e médias premiados, exibidos em uma variedade de festivais pelo país, além de canais de TV como TNT e Canal Brasil. Atua também na critica cinematográfica tendo contribuído para a revista Contracampo (www.contracampo.com.br) de 2011 até a edição final e para o catálogo da mostra John Carpenter, realizada no CCBB de São Paulo e para o ciclo Vicent Prize, montado pelo SESC PR. Já organizou dezenas de oficinas de cinema e ministrou aulas relacionadas à crítica em instituições como Fae, UniBrasil e Unespar. Trabalhou no curso preparatório de cinema do Espaço de Arte por três anos. Desde 2013 escreve para a revista interlúdio. (www.revistainterludio.com.br).

Na aula serão abordados os seguintes aspectos:

1 – Introdução: aspectos da crítica de arte e breve contextualização histórica do papel da crítica de cinema para o desenvolvimento desta arte. A crítica francesa, italiana, norte-americana e brasileira.

2 – As quatro verdades sobre a crítica:

  1. A) A crítica como uma maneira de organizar o mundo, de colocar ordem no caos: exercitar o ato de olhar para as imagens cinematográficas; compreender o que é a mise-en-scène; análise de cenas servem como analogia para o ato de organizar um universo de multiplicidade de imagens.
  1. B) A crítica como forma de exploração e escavação: exercitar o gosto é se posicionar, é passear pelo museu repleto de obras canônicas e procurar a porta secreta para o porão; as imagens tem origens, como e onde encontra-las? Análises de cenas de filmes e pinturas do período maneirista com o intuito de treinar a capacidade de intuição e saber técnico.
  1. c) A crítica como forma de necromancia: a definição de necromancia é simples. Trata-se da arte de conversar com os mortos em busca de segredos do futuro. Olhar imagens do passado nos ajuda a compreender o presente e o futuro. Quais os caminhos possíveis para compreender a história do cinema?
  1. d) A crítica como ato de compreensão do outro: a crítica é, de alguma maneira, tradução. Exemplos de crítica escrita, vídeos-ensaio e os perigos do “frame porn”.